CUT convoca trabalhadores para irem às ruas em defesa da democracia


Próximo da realização das duas grandes manifestações agendadas para os dias 10 e 15 de agosto, a Executiva Nacional da CUT, reunida nesta quarta-feira (25), em São Paulo, convocou a militância CUTista para participar dos atos marcados.
No Dia do Basta, 10 de agosto, haverá manifestações por todo Brasil chamada pela CUT e demais centrais sindicais com apoio das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e de vários movimentos sociais.
 “Temos condições de fazer uma grande mobilização no dia 10 para dizer basta ao desemprego, basta de política de preços da Petrobras, com reajustes diários. Basta de retirada de direitos, entre tantas maldades deste governo golpista”, diz o presidente da CUT, Vagner Freitas.
As plenárias interestaduais da CUT, que estão acontecendo pelo país, visam o fortalecimento da mobilização de trabalhadores e trabalhadoras.
Os sindicalistas CUTistas promovem ainda as plenárias estaduais para potencializar a luta pela retomada de direitos. Nos encontros, além das mobilizações, a CUT está construindo a campanha Lula Livre e lançando a Plataforma da central para as eleições deste ano.
Segundo Vagner Freitas, os sindicatos precisam fazer esse enfrentamento e não permitir a conclusão do golpe jurídico, parlamentar e midiático, elegendo o candidato de Temer (MDB-SP) e do mercado financeiro que querem colocar a política da elite que é contra o trabalhador.
“O candidato da direita também quer acabar com direitos, sucatear as empresas públicas, privatizar a educação e a saúde, entre outros ataques à classe trabalhadora. Esse é o candidato do golpe que atrasou o Brasil e é o candidato de Temer, que além de ilegítimo e golpista, é o mais rejeitado da história”, destacou Vagner.
Para o presidente da CUT, a disputa eleitoral terá um tom de luta de classes.
“A candidatura da direita além de ser da situação, tem apoio do mercado, da base governista e com coalização de partidos do parlamento. O nosso candidato tem o voto do povo, como mostram as pesquisas. Lula já disse que vai revogar todas as medidas de Temer e governar para o trabalhador. Então as opções serão um governo de trabalhador com inclusão social ou com o mercado e os golpistas com exclusão”, afirma.
 “Eles não têm vacina ou um antídoto capaz de enfrentar Lula nas urnas. Tentaram até o fim. Julgaram, condenaram e prenderam tentando tirá-lo da disputa achando que Lula ia sumir nas pesquisas eleitorais, mas ele lidera a intenções de voto mesmo preso político. Essa estratégia foi boa para eles, porque se Lula estivesse solto fazendo as caravanas pelo País, neste momento as pesquisas iam confirmar que ele estaria eleito no primeiro turno”, finalizou o presidente da CUT.
15 de agosto – Registro de candidatura de Lula à presidência
No dia 15 de agosto, dia do prazo para registrar a candidatura de Lula à presidência da República, milhares de pessoas deverão ocupar o Brasil para defender a participação do ex-presidente.
“Lula é candidato e a efetivação desta disputa será feita em 15 de agosto. A direita já tem seu candidato, mas o medo não é do Partido dos Trabalhadores (PT), do Movimento dos Sem Terra e nem da CUT, o medo deles é do Lula”, afirmou o presidente da CUT, Vagner Freitas.
Segundo ele, a CUT não tem plano B. Lula é o candidato da classe trabalhadora, que saberá demonstrar a sua insatisfação com o momento político nas urnas.
“Temos o melhor candidato e a melhor militância. Nossa tarefa prioritária é vencer a eleição e temos a verdadeira possibilidade da vitória, desde que o nosso time esteja nas ruas acreditando e jogando o tempo todo. O que define a arma que temos é vencer a eleição com um programa de governo transformador, que não deixe dúvidas do por que escolhemos Lula e o que ele vai fazer para trazer de volta a felicidade e a dignidade dos brasileiros e das brasileiras”, afirmou Vagner, que finalizou: “Lula livre, lula Inocente e Lula presidente!”
10 de Agosto – Dia do Basta
E para dar um basta aos desmandos do governo ilegítimo de Temer e as medidas de retirada de direitos dos trabalhadores, como a reforma trabalhista, a política de preços dos derivados de petróleo e pelo direito de Lula ser candidato às próximas eleições, a CUT e demais centrais sindicais realizarão o Dia do Basta, em 10 de agosto, com paralisações, atrasos de turnos e atos nos locais de trabalho e nas praças públicas de grande circulação de todo o País.
Cada cidade do país terá seu local de realização de atos. Em São Paulo será na Avenida Paulista, na altura do nº1313, em frente à Fiesp, a partir das 10h da manhã.

Fonte: CUT Nacional e editado por Contraf-CUT